“Hora da Terra”

bulbo terrrestreNão. Na assim chamada Hora da Terra 2009, não apaguei luz nenhuma, a não ser aquelas que normalmente procuro apagar sempre que seu uso é desnecessário.

Não boicotei a campanha internacional para deixar as luzes de casa apagadas por uma hora por torcer “contra a Terra”, nem porque gosto de usar eletricidade à toa. Boicotei porque sou, por princípio, contra esse tipo de marketing social de manada, turbinado pela mídia e sabe-e lá por mais o quê,  que gera nas pessoas a necessidade de assumir, em grupo, certos comportamentos por constrangimento, mas que na prática não gera mudança individual nenhuma. A mudança individual, consciente e voluntária é a única capaz de influenciar a sociedade de forma efetiva e duradoura. É o que eu penso.
Não tenho dúvida que muita gente apagou a luz, mas continuou tranquilamente vendo sua novelinha, usando seu computador e relaxando em suas hidromassagens sem se dar conta da contradição.

Depois de uma horinha de luz apagada, todos saem de consciência tranquila, por terem “ajudado” o planeta, por terem sido a parte brasileira de uma “iniciativa mundial”, e bola pra frente no seu conforto consumista.

E, como subproduto desse tipo de campanha, temos ainda que conviver com a inevitável e patética militância em favor da ‘causa’, que sempre acaba surgindo para caçar os “alienados”.

Veja também:

  • FotofobiaFotofobia O homem vive em um descompasso consigo próprio, que o leva em última instância a desistir de ser o que foi designado ser e, em […]
  • Luz sobre a TerraLuz sobre a Terra Isaías, capítulo 9.
  • Aborto de anencéfalosAborto de anencéfalos A discussão toda se resume ao seguinte: se devemos ou não tornar possível que as mulheres frustradas com uma criança malformada […]
  • Samaritanos e ateusSamaritanos e ateus É recorrente entre não poucos ateus a necessidade de provar que não precisam da religião para serem pessoas boas, éticas e […]

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

3 comentários sobre ““Hora da Terra”

  1. Em termos.

    Não é obrigatório ter uma idéia melhor para criticar uma idéia claramente ruim. O que mais dificulta aí o ser contra não é falta de idéias melhores, mas sim contrariar um modismo do momento,fortemente massificado pela mídia.

    Mas eu até tenho uma idéia melhor: que tal uma campanha para as pessoas recarregarem seus celulares, Smartphones e iPads só uma vez por semana? Só pra começar, depois estenderíamos para outros “devices”.

    Na primeira semana ninguém conseguiria. Na segunda, os que ainda tivessem coragem de persistir iriam perceber que teriam que racionalizar o uso indiscriminado de seus brinquedinhos. Na terceira, estariam finalmente aprendendo a controlar o uso.
    Isso sim, seria a meu ver uma forma mais perto da realidade prática, de mostrar como cada um, individualmente, consome os recursos do planeta.

  2. Facil ser contra sem dar uma opcao melhor..acho que a palavra que deve ser levada em consideracao e’ “conscientizacao”

  3. É cômico…. o Jornal Hoje volta e meia está nos educando (nós os mortais pobres) como economizar água. Ensinam até o absurdo de somente urinar na hora do banho para economizar água da descarga. Engraçado, muito mesmo… principalmente porque não vejo ninguém questionando: Não vejo matéria incentivando o desuso das banheiras residenciais! E o pior é ver pessoas simples e alienadas apoiando o absurdo. Contraditório ainda, quando o recomendável é beber dois litros de água. Tem que ser uma super bexiga para segurar até a hora do banho!!

Os comentários estão encerrados

Deixe uma resposta