Fotofobia

Fotofobiafotofobia:
sf. (foto+fobia) Intolerância à luz, sintoma próprio de certas afecções nervosas.

A notícia envolve uma estranha ironia: Joilson, um motorista de ônibus encontra quase 75 mil reais e, em lugar de fazer o que muitos fariam, devolve todo o dinheiro ao dono. A ironia é que isso gera entre seus pares incômodo suficiente para que Joilson tenha seu crachá funcional jogado no vaso sanitário por um colega não identificado, além de ver escritas na parede do banheiro as palavras “Chagas otário”.

A verdade é que essa é uma circunstância recorrente. Vivemos num mundo onde a verdade, a decência, a boa-vontade, a honestidade são cada vez menos recompensadas. Anos atrás uma pesquisa constatou que o altruísmo e a generosidade já são considerados sinais de fraqueza. A essa altura, podemos dizer que estas virtudes não apenas deixam de ser recompensadas, mas também causam desconforto e são punidas.

A melhor explicação para isso eu ainda encontro na cosmovisão bíblica. Ali, o homem vive numa desconexão inevitável contra o que ele é e o que gostaria de ser por causa da “Queda”: O homem fez uma escolha contrária a vontade de Deus e como consequência foi destituído de sua condição de plenitude original.

Por conta disso, o homem vive em um descompasso consigo próprio, que o leva em última instância a desistir de ser o que foi designado ser e, em seu interior, deseja ser. Assim, ele procura destruir todo o referencial que coloque o nível moral em um patamar um pouco acima da mediocridade, pois dessa maneira ele evitará algo que o faça se sentir inferior.

Senão vejamos, o que interessaria para os colegas do cidadão, ou que diferença faria que ele devolvesse o dinheiro ou não? Alguém ali ficaria mais rico ou mais pobre? Com certeza não financeiramente, mas, moralmente, alguém se viu falido por lá.

Um rabino do primeiro século disse certa vez que “aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas”. Esse é o fenômeno da fotofobia aplicada à nossa sociedade global contemporânea. A obscuridade torna tudo difuso e nebuloso, trazendo ambiguidade e incerteza. A clareza e a transparência das coisas incomoda, porque com elas é possível o confronto, a comparação, a aferição com as quais se revela a verdade oculta no interior de cada um, onde os valores de cada um são mensurados sem possibilidade de adulteração.

Por isso mesmo atitudes como a de Joilson provocam tamanha reação em contrário. Elas trazem luz e obrigam a uma reflexão que nem todos estão dispostos a fazer.

Veja também:

  • “Hora da Terra”“Hora da Terra” Na assim chamada Hora da Terra 2009, não apaguei luz nenhuma, a não ser aquelas que normalmente procuro apagar sempre que seu […]
  • Curto circuitoCurto circuito – Eu não entendo como meu cérebro funciona. Mas é o meu cérebro que uso para saber como as coisas funcionam.
  • Luz sobre a TerraLuz sobre a Terra Isaías, capítulo 9.
  • Não se faz Copa SEM hospitais!Não se faz Copa SEM hospitais! De repente, o gigante acordou (acordou?), e descobriu que estavam organizando uma Copa em torno do berço esplêndido. Não gostou, […]

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Deixe uma resposta