Entrevista: Lynn Margulis

A bióloga e professora Lynn Margulis, conhecida por suas pesquisas sobre endossimbiose e viúva do astrônomo Carl Sagan, foi entrevistada para a edição de Abril de 2011 da Discover Magazine.
Na polêmica entrevista, Margulis critica o neo-Drawinismo, questiona a seleção natural como principal mecanismo evolutivo, sugere uma abordagem diferente sobre a AIDS e diz que ela “não é controversa, é correta”.

A proposta deste blog não é a de necessariamente endossar as idéias da bióloga, mas mostrar, a partir das próprias palavras de uma cientista notória que é falsa a idéia propagandeada pela mídia e por alguns divulgadores de ciência de que não há controvérsia em torno da Teoria da Evolução.
A entrevista é longa e pode ser vista em inglês no endereço da revista. Recomendo fortemente a leitura completa.

Abaixo, destaque para algumas de suas respostas.

– – –
A maioria dos cientistas diria que não há controvérsia sobre a evolução. Por que você discorda?
Todos os cientistas concordam que a evolução ocorreu, que toda vida vem de um ancestral comum, que houve extinção, e que novos táxons, novos grupos biológicos, têm surgido. A pergunta é: é a seleção natural suficiente para explicar a evolução? É o condutor da evolução?

E você não acredita que a seleção natural é a resposta?
Este é o problema que tenho com o neo-darwinistas: Eles ensinam que o que está gerando novidade é a acumulação de mutações aleatórias no DNA, em uma direção definida pela seleção natural. Se você quiser os ovos maiores, você continua selecionando as galinhas que estão colocando os maiores ovos, e você começa a ter ovos cada vez maiores. Mas você também terá galinhas com penas defeituosas e as pernas bambas. A seleção natural elimina e talvez mantém, mas não cria.

Esta parece ser uma objeção bastante básica. Como, então, você acha que a perspectiva neo-darwinista se tornou tão arraigada?
Na primeira metade do século 20, o neo-darwinismo se tornou o nome para as pessoas que reconciliaram o tipo de mudança evolutiva gradual descrita por Charles Darwin com as regras de Gregor Mendel sobre a hereditariedade [que ganhou reconhecimento disseminado por volta de 1900], no qual traços fixos são passadas de uma geração para a seguinte. O problema é que as leis da genética mostraram estase, não mudança.

Não há dúvida de que Mendel estava correto. Mas o darwinismo diz que houve mudança através do tempo, uma vez que toda vida vem de um ancestral comum.

Então Mendel pedeu alguma coisa? Darwin estava errado?
Eu diria que ambos estão incompletos … Mas os neo-darwinistas dizem que novas espécies surgem quando mutações ocorrem e modificam um organismo. Eu fui ensinada seguidas vezes que o acúmulo de mutações aleatórias levou a mudatações evolutivas, a novas espécies. Eu acreditei até que procurei pelas as provas.

Que tipo de evidência virou você contra o neo-darwinismo?
O que você gostaria de ver é um bom exemplo para a mudança gradual de uma espécie para outra em campo, em laboratório, ou no registro fóssil e de preferência em todos os três. O grande mistério de Darwin foi não ter registro nenhum anterior a um ponto específico [datado de 542 milhões de anos por pesquisadores modernos], e então, de repente, você começa a ter no registro fóssil quase todos os principais tipos de animais…Não há gradualismo no registro fóssil.

Algumas de suas críticas à seleção natural soam muito parecidas com as de Michael Behe, um dos defensores mais famosos do “design inteligente”, e você ainda têm debatido Behe. Qual é a diferença entre seus pontos de vista?
Os críticos, incluindo os críticos criacionista, estão certos sobre suas críticas. É apenas que eles não têm nada para oferecer, a não ser o design inteligente ou “Deus fez isso.” Eles não têm alternativas que sejam científicas.

Você afirma que o principal mecanismo da evolução não é a mutação, mas a simbiogênese, em que novas espécies surgem através da relação simbiótica entre dois ou mais tipos de organismos. Como isso funciona?
Todos os organismos visíveis são produtos de simbiogênese, sem exceção. As bactérias são a unidade … Simbiogênese reconhece que cada  forma visível de vida é uma combinação ou uma comunidade de bactérias.

…Os órgãos dos sentidos dos vertebrados têm  cílios modificado: As hastes e células cone do olho têm cílios, e o órgão de equilíbrio no ouvido interno é forrado com cílios sensoriais. Você inclina a cabeça para um lado e pedrinhas de carbonato de cálcio em seu ouvido interno atingem os cílios. Isto é conhecido desde pouco depois da microscopia eletrônica surgir em 1963. Cílios sensoriais não vieram de mutações aleatórias. Eles vieram através da aquisição de um genoma inteiro de uma bactéria simbiótica que já podia sentir a luz ou movimento.

Espere – você está sugerindo que a AIDS é realmente sífilis?
Existe uma vasta literatura sobre a sífilis abrangendo desde o ano de 1500 até depois da Segunda Guerra Mundial, quando a doença foi supostamente curada por penicilina. No entanto, os mesmos sintomas agora descrevem AIDS perfeitamente. Está no nosso artigo “Ressurgimento do grande imitador”. Nossa reivindicação é que não há evidências de que o HIV é um vírus infeccioso, ou até mesmo uma entidade, se tanto. Não há nenhum trabalho científico que comprove que o vírus HIV causa a AIDS. Kary Mullis [vencedora do Prêmio Nobel de 1993 para o seqüenciamento de DNA, e bem conhecida por seus pontos de vista científicos não convencionais] disse em uma entrevista que ela foi à procura de uma referência que justifiquem que o HIV causa a Aids e descobriu: “Não há nenhum documento desse tipo.”

Por que você tem a reputação de ser uma herege?
Qualquer um que é abertamente crítica aos fundamentos da sua ciência é persona non grata. Eu sou crítica da biologia evolutiva que se baseia em genética de populações.

Você já está cansada de ser chamado de polêmica?
Eu não considero minhas idéias controversas. Eu as considero certas.

Veja também:

  • Design ou chute?Design ou chute? O peixe arqueiro (Toxotes jaculatrix), que habita os manguezais do norte da Austrália e regiões próximas, possui uma incrível […]
  • A mensagem do DNAA mensagem do DNA Não bastasse o código genético descrever a informação necessária para a produção das proteínas com que todos os seres vivos são […]
  • Ariano e o pregadorAriano e o pregador Ariano Suassuna diz o que pensa da Teoria da Evolução.
  • Design Inteligente: criação e evoluçãoDesign Inteligente: criação e evolução A discussão sobre o Design Inteligente, propõe que a complexidade da vida não se explica pela variação aleatória e seleção […]

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Um comentário sobre “Entrevista: Lynn Margulis

Deixe uma resposta