Indiferença

Coração de pedraUma criança de dez anos vai à escola com uma arma de fogo, atira na professora que fica gravemente ferida. Em seguida, atira na cabeça, tirando própria vida.

O que há de mais espantoso? A idade da criança? A premeditação do crime? Uma arma facilmente ao alcance de um menino? O ambiente escolar sendo devassado pela violência? O desfecho final contra a própria vida?

Nada disso. Se for para ser bem sincero, o que mais me espantou nisso tudo foi a demora com que parei para me dar conta da profundidade trágica do acontecimento.
Precisei ouvir, duas, três, várias vezes a mesma notícia até que os dados começassem a ressoar na minha mente, abrindo espaço entre tantos outros pensamentos e me obrigando a reparar nos detalhes: uma criança…dez anos…uma criança…uma arma…a professora…uma arma…na cabeça…uma criança.

O que pode ser mais espantoso do que tudo isso senão a indiferença cada vez maior com que nós – Não!  – com que eu, EU reajo, se é que reajo, a uma nova insanidade nossa de cada dia?

Que Deus não permita jamais que o meu coração deixe de ser de carne.

Veja também:

  • Corações armadosCorações armados Mais uma vez nos toma de assalto a notícia de alguém que entra atirando em um local público qualquer e mata um grupo enorme de […]
  • O ovo ou a galinha?O ovo ou a galinha? Confesso que me intriga o fato de ver, imediatamente após certos tipos de notícias, uma crescente recorrência de fatos […]
  • Heróis e vilõesHeróis e vilões Bons tempos aqueles quando um herói injustiçado, ao final do filme, dava a volta por cima com um surpreendente golpe de mestre, […]

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Um comentário sobre “Indiferença

  1. Tendo um filho de 10 anos, esta notícia além de ser chocante por si própria me entristeceu muito. É difícil avaliar de imediato tudo que acarretou este acontecimento trágico. Os tempos são maus.

Deixe uma resposta