O politicamente incorreto Ben Carson

Ben Carson

Dr. Benjamin Carson, conhecido neurocirurgião americano, diretor do departamento de neurocirurgia pediátrica do hospital John Hopkins discursou este ano no National Prayer Breakfast, um evento que ocorre anualmente na primeira quinta feira de fevereiro e que conta com a participação do presidente dos Estados Unidos.

Carson, já havia discursado no evento 16 anos atrás e, em 2008, foi homenageado com a medalha presidencial da liberdade pelo presidente Bush. Neste ano, sob os olhos do presidente Barack Obama, seu discurso abordou a liberdade promovida pela educação, a questão da saúde pública, além de outros assuntos, porém antes, ao iniciar, ele fez questão de contextualizar sua fala citando versículos bíblicos e criticando a intimidação sobre a liberdade de expressão imposta pelo pensamento politicamente correto.

A observação não foi aleatória, uma vez que o que foi dito em seguida, acabou mesmo por ser considerado, na opinião de algumas fontes, confrontador e até ofensivo em relação à postura do governo Obama sobre uma série de assuntos.

Por outro lado, ao que parece, muita gente concorda com as opiniões do médico. O vídeo do seu discurso foi visto no Youtube por mais de 420 mil pessoas em menos de 10 dias e sua fundação começou a ser inundada com doações após seu discurso “politicamente incorreto”, seguindo o site Christianpost.

Abaixo, algumas citações extraídas do seu discurso.

 “Não é minha intenção ofender ninguém. Descobri, no entanto, em anos recentes, que é muito difícil falar para um grupo grande de pessoas hoje me dia e não ofender alguém. Você sabe, as pessoas andando por aí com seus sentimentos sobre os seus ombros esperando você dizer algo, “Aghhh ouviu aquilo”? A polícia do PC (politicamente correto) está de prontidão o tempo todo.”

“Chegamos ao ponto onde as pessoas estão com medo de realmente falar sobre o que eles querem dizer porque alguém pode ser ofendido.”

“As pessoas têm medo de dizer Feliz Natal em tempo de Natal. Não importa se a pessoa que você está falando é judeu ou, você sabe, se eles são de qualquer religião. Isso é um cumprimento, uma saudação de boa vontade.”

“O que precisamos fazer  neste mundo de correção política é esquecer a unanimidade do discurso e a unanimidade de pensamento, e temos de nos concentrar em ser respeitoso com as pessoas com quem discordamos.

“E uma última coisa sobre politicamente correto, que eu acho que é uma coisa horrível, por sinal. Eu sou muito, — compassivo, e não quero nunca  ofender ninguém. Mas o politicamente correto é perigoso. Porque, você vê, este país um dos princípios fundadores foi a liberdade de pensamento e de expressão, e isso abafa as pessoas. Ele coloca uma mordaça nelas. E, ao mesmo tempo, mantém pessoas longe de discutir questões importantes, enquanto o tecido desta sociedade está sendo alterado. E não podemos cair nesse truque. E o que precisamos fazer é começar a falar sobre as coisas, sobre coisas que são importantes.

“Quando você educa um homem, você o liberta.

“Eu tinha um temperamento horrível, baixa auto-estima. Tudo o que você acha que impediria o sucesso. Mas eu tinha algo de muito importante, eu tive uma mãe que acreditou em mim e eu tive uma mãe que nunca permitiria ser vítima não importa o que acontecesse.”

“Precisamos de médicos, precisamos de cientistas, engenheiros. Precisamos de todas as pessoas envolvidas no governo, não apenas advogados …Eu não tenho nada contra advogados, mas você sabe, aqui há uma coisa sobre advogados …Me desculpe, mas eu tenho que ser sincero … tenho que ser verdadeiro – o que advogados aprendem na Faculdade de direito? A ganhar, por bem ou por mal.”

“O que temos de começar a pensar é: como podemos resolver problemas?

O transcrito completo do discurso pode ser lido (em inglês) aqui.

 

Veja também:

  • A Ingenuidade na PráticaA Ingenuidade na Prática Na revista Galileu deste mês, um jornalista ateu tenta viver por 2 meses dentro daquilo que entende ser "de acordo com a […]
  • Charles “Chuck” ColsonCharles “Chuck” Colson Charles Colson, um exemplo de como alguém pode mudar de vida e se regenerar, mesmo sendo um político.
  • Compaixão ou sem paixão?Compaixão ou sem paixão? Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkley concluíram que pessoas menos religiosas são mais propensas a ser […]
  • Deus seja louvadoDeus seja louvado Como teísta e cristão que sou, particularmente vejo o dinheiro um objeto sujo demais para ostentar o nome de Deus e não ficaria […]

Comentários

Loading Facebook Comments ...
Loading Disqus Comments ...

Deixe uma resposta